Cesárea não indicada eleva em seis vezes risco de morte da mãe, diz professora da UnB

A epidemiologista Daphne Rattner, professora de medicina na Universidade de Brasília (UnB), trouxe à audiência dados que demonstram um aumento mundial no número de cesáreas.

As informações expostas pela médica mostram que a intervenção cirúrgica traz um risco de morte seis vezes maior nos casos em que não é indicada clinicamente. O risco de infecção puerperal em casos de cesárea é de 2,86%, enquanto nos partos normais essa chance é de 0,75%.

Matéria completa aqui

Após pressão das mulheres, Janaína Paschoal vai ‘refletir’ sobre PL das cesarianas

A presidenta da Rede pela Humanização do Parto e Nascimento e professora da Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília, Daphne Rattner, destacou que dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), analisando 290 mil partos, registrou um risco seis vezes maior de morte no parto cesariana, além de um risco cinco vezes maior de infecção. O Ministério da Saúde, em 2011, registrava taxa de mortalidade de 18 mortes para cada 100 mil partos por cesariana e 8 mortes para cada 100 mil partos normais.

Link