Saúde e autonomia da mulher são debatidas em audiência pública no RJ

A Dra. Daphne Rattner – médica, presidente da Rede Pela Humanização do Parto e Nascimento (ReHuna) e diretora da International MotherBaby Childbirth Organization – deu inicio às discussões apresentando o panorama histórico e de evolução das práticas nos tratamentos médicos na área de obstetrícia e neonatologia. Segundo Rattner “o que infelizmente acontece é que a despeito das orientações éticas da profissão, os médicos e professores das faculdades de medicina não se atualizaram, mas as mulheres sim e elas consideram que fazer no corpo delas práticas que deveriam ser abandonadas segundo as evidencias cientificas é uma violência”. A médica completa concluindo que o cenário se torna ainda pior, uma vez que “ao serem questionados pelas mulheres, os profissionais médicos se sentem agredidos e acabam exercendo a prática com ainda mais violência”.

link