Dia #6 da campanha Está em suas mãos – ReHuNa nos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra mulheres

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
QUEM SAI PREJUDICADO COM AS CESÁREAS DESNECESSÁRIAS 

1 – As mulheres, uma vez que a cirurgia desnecessária acresce riscos, de mortalidade e complicações, sem trazer benefícios reais

2 – Os bebês que, quando retirados prematuramente, acabam indo para a incubadora, em vez de curtir o aconchego da família, o colinho da mãe, o contato pele-a-pele

3 – As famílias, quando ocorrem mortes maternas ou de bebês que seriam evitáveis caso a cirurgia não tivesse ocorrido

4 – Profissionais de saúde, que ficam sobrecarregados por ter que atender não só as cesáreas, mas também as suas complicações

5 – Estabelecimentos de saúde uma vez que, em vez de dar alta após 24 horas de um parto normal, têm leitos ocupados por 48 horas ou mais, a depender das complicações – e as mulheres que os demandam, que muitas vezes ficam alojadas precariamente pelos corredores em hospitais do SUS

6 – O sistema de saúde, que fica sobrecarregado com o excesso de dias de internação e os custos acrescidos

7 – A imagem dos médicos obstetras que agem corretamente, uma vez que o excesso de cesáreas está constantemente na imprensa e são quem realiza os procedimentos cirúrgicos, sendo ponto pacífico para a imprensa e para o senso comum que o excesso de cesáreas é responsabilidade de médicos

8 – O Sistema Único de Saúde, que tem que arcar com as despesas extras decorrentes das cirurgias desnecessárias e suas complicações. Como os recursos são escassos, desperdício com cesáreas desnecessárias vai provocar falta de recursos para ações necessárias

9 – A sociedade, que paga com seus impostos as despesas extras que procedimentos desnecessários e as complicações provocam

10 – O Brasil, sua imagem no exterior, pois a fama de excesso de cesáreas é motivo de vergonha internacional, tanto nos meios das sociedades de Obstetrícia, como nas publicações de imprensa

Texto: Daphne Rattner

Realização: ReHuNa

Apoio: ECOS UnB e Rádio Web Saúde UnB

https://www.instagram.com/p/B5gxFaEnWRM/?igshid=3w3aig01fsx4

Leia Também