Infant Outcomes Following Maternal Infection with SARS-CoV-2: First Report from the PRIORITY Study

Compartilhar

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Nesse recente estudo (PRIORITY), disponível na página neonatal www.paulomargotto.com.br, com uma coorte de 263 bebês, incluindo 179 e 84, respectivamente, nascidos de mães com teste positivo ou negativo para SARS CoV-2, mostrou que o risco de infecção pelo bebê foi de 1,1% (e os sintomas foram mínimos). Sem complicações nas 6-8semanas. Na discussão desse estudo trouxemos informações de uma das maiores coorte dos Estados Unidos de neonatos nascidos de mães com teste positivo para SARS-CoV-2 no momento do parto e que foram subsequentemente acompanhadas com testes seriados e clinicamente até 1 mês de vida. Oitenta e dois neonatos (68%) completaram o acompanhamento no dia 5–7 de vida. Dos 82 neonatos, 68 (83%) ficaram com as mães. Todas as mães foram autorizadas a amamentar; com 5 a 7 dias de vida, 64 (78%) ainda estavam amamentando. 79 (96%) de 82 neonatos tiveram uma repetição da PCR em 5–7 dias de vida, que foi negativa em todos; 72 (88%) neonatos também foram testados com 14 dias de vida e nenhum foi positivo. Nenhum dos neonatos apresentou sintomas de COVID-19. Assim, o o Alojamento Conjunto com a mãe e a amamentação são seguros se associados à educação adequada dos pais sobre práticas seguras de controle de infecção, como o uso de máscaras cirúrgicas em todos os momentos e a higienização frequente das mãos.

 

Abstract

Infant outcomes after maternal SARS-CoV-2 infection are not well-described. In a prospective U.S. registry of 263 infants born to mothers testing positive or negative for SARS-CoV-2, SARS-CoV-2 status was not associated with birth weight, difficulty breathing, apnea or upper or lower respiratory infection through 8 weeks of age.

Keywords: COVID-19; Newborn; Pregnancy; SARS-CoV-2.

 

Leia Também